Admir Jacomussi tem contas rejeitadas pelo TCE

Continua após a publicidade
blank

O TCE (Tribunal de Contas do Estado), julgou nesta semana, irregulares as contas da Câmara de Mauá no período de 2018. Na época, Admir Jacomussi (Patriota) atuava como presidente da casa.

Nesse sentido, o TCE já havia aceitado o voto do conselheiro Sidnei Beraldo, citando o excesso de cargos comissionados como suposto motivo para rejeição.

Além disso, Sidnei abordou possíveis irregularidades em contrato celebrado pela Câmara, com empresa para realizar trabalhos de proteção de incêndio. Mas, a organização teria descumprido normas e não prestado os serviços determinados.

Do mesmo modo, Beraldo critica a ocupação dos cargos comissionados no Legislativo. Uma vez que apesar da redução dos comissionados, a maioria dos servidores não possuía ensino superior.

Contudo, Admir anunciou que vai recorrer. Já que de acordo com ele, na época, tomou a decisão depois de consultar o Ministério Público.

Deixe seu comentário