Câmara de Mauá aprova uso de máscaras ineficazes para funcionários públicos

Continua após a publicidade
blank

Nesta terça-feira (27), os vereadores de Mauá aprovaram por unanimidade, o PL (Projeto de Lei) que determina o uso de máscaras transparentes para os funcionários públicos. A votação, aconteceu em sessão na Câmara Municipal.

De acordo com o texto do plano, a medida tem como objetivo facilitar a leitura labial de pessoas com deficiência auditiva. Mas, profissionais de saúde dizem que o produto, não protege contra a Covid-19, assim como outros tipos de máscaras.

O vereador autor da propositura Irmão Ozelito (PSD); escreveu no documento que o item deseja incentivar a criação de mais políticas públicas, em favor dos deficientes auditivos.

Do mesmo modo, declarou que a medida facilita a comunicação em geral. “A leitura labial funciona como agente facilitador para receber a mensagem mais facilmente”.

Mas, a Anvisa, por exemplo, recebeu questionamento de veículos de imprensa sobre o uso da máscara transparente e, respondeu que “não regulamenta e não tem recomendações sobre o uso das máscaras de vinil ou similares”.

Além disso, o Doutor em Biossegurança, Jorge Luiz Araújo, afirmou que na verdade não se trata de uma máscara. “Esses Semi-protetores faciais não têm elementos filtrantes. O produto não funciona como máscara, para proteger contra vírus.

Apenas impede que partículas que saem da nossa boca ou respiração, atinjam um possível produto que estamos segurando”, afirmou o especialista através das redes sociais.

Contudo, para entrar em vigor o uso de máscaras transparentes por parte de servidores da prefeitura de Mauá, o prefeito Marcelo Oliveira (PT), precisa sancionar o projeto.

Deixe seu comentário