Curso dá dicas para estudantes alcançarem nota máxima nas redações

Continua após a publicidade
blank

A redação é parte fundamental para a composição das notas dos vestibulares de todo o País, sendo, inclusive, um componente eliminatório. As instituições de ensino valorizam as produções textuais e avaliam as técnicas de escrita, a capacidade de organização de ideias e estruturação coerente de conteúdo, as habilidades de argumentação, o domínio do vocabulário e as analogias às vivências de cada estudante.

A coordenadora de Redação do Curso Poliedro, Fabiula Neubern, sugere que os alunos treinem bastante. “É recomendável produzir um texto por semana para aprimorar a agilidade em planejar e executar a escrita dissertativa, com grande atenção à gramática, cada vez mais exigida nas provas. Também é importante que desenvolvam o hábito de leitura para enriquecer o vocabulário e aumentar o conhecimento sobre as regras gramaticais, a compreensão acerca das atualidades e o “modus operandi” da argumentação”, diz Fabiula.

Para auxiliar os estudantes em preparação para os principais vestibulares do País, a coordenadora oferece um passo a passo, além de 5 dicas para que conquistem um bom desempenho nas redações:

Passo a passo para criar uma redação de qualidade

O primeiro passo para começar a desenvolver o texto é ler a frase ou recorte temático atentamente, já sublinhando as palavras-chave para delimitar o tema e o seu recorte.

O segundo passo é uma leitura cuidadosa dos textos motivadores, pois ela pode ajudar na composição do projeto de texto. Segundo Fabiula, esse projeto é uma espécie de esqueleto, ou seja, um conjunto de anotações do tipo: qual será a minha tese, isto é, meu posicionamento? Qual ou quais referências externas vou usar? Qual a ideia central de cada parágrafo de desenvolvimento? Qual será a proposta de intervenção? A organização é necessária, já que é uma das habilidades observadas em qualquer texto dissertativo-argumentativo.

A partir de então, a próxima etapa é escrever o texto. Há alunos que fazem um rascunho completo, outros que escrevem os primeiros parágrafos em rascunho e partem para a folha oficial, e outros, ainda, que escrevem o texto todo diretamente na folha oficial a partir do projeto. Cada um define a estratégia que o deixa mais seguro e confortável. Independentemente da tática escolhida, é fundamental fazer uma revisão gramatical ao final.

Entenda os eixos temáticos

Os temas de redações dos vestibulares abordam questões atuais e que envolvem a sociedade na qual o vestibulando ou a vestibulanda vive e da qual participa. Então, é importante que se observe dentro de qual eixo temático ou “grande assunto” encaixa-se cada um dos temas trabalhados. Isso faz com que seja possível treinar a construção de vínculos e não apareça a sensação de despreparo para escrever sobre qualquer tema.

Atente-se à estrutura do texto

A estrutura reproduzida nos textos deve ser um ponto de atenção, já que representa uma significativa parte do desempenho. Nos diversos vestibulares, a técnica de escrita tem um peso elevado. No Enem, por exemplo, 20% da nota diz respeito ao domínio da língua. Outros 20%, ao uso de mecanismos linguísticos que garantam a coesão.

Crie o hábito de leitura

O ideal é ter atenção às principais notícias e ler o máximo que puder para ampliar o repertório temático, aprofundar questões gramaticais e entender novos formatos. Ler cotidianamente portais de notícia, revistas, jornais e acompanhar canais de transmissão de conhecimento legitimado é muito importante. Existem professores de redação que fazem curadoria de leitura ou divulgam leituras complementares semanalmente, por exemplo, que podem auxiliar os alunos em preparação.

Faça leituras atentas das coletâneas

Fazer uma leitura atenta da coletânea, identificando pontos relevantes com os quais se possa “dialogar”, ou seja, pontos que podem ser analisados com as ferramentas do candidato ou candidata: sua opinião, visão crítica e repertório.

Não deixe a redação para o final

Cada pessoa deve desenvolver a sua estratégia, ou seja, aquela que a deixa mais confortável. Porém, a coordenadora não recomenda que se deixe a redação para o final da prova porque o aluno ou aluna pode se perder com o tempo e não conseguir concluir o texto. “Mas não vejo problema em ler o tema, anotar as primeiras ideias e deixar a cabeça trabalhar um pouco o amadurecimento dele enquanto se resolve algumas questões objetivas. Para definir o melhor método, a minha dica é treinar estratégias diferentes em simulados e, se isso já foi feito e definido, o ideal é não mudar de estratégia no dia da prova, pois isso pode provocar ansiedade e prejudicar o desempenho”, explica Fabiula.

Confira 5 linhas de pensamento para prováveis temas neste ano

Independentemente do tema que será proposto pelo processo seletivo, é certo que terá relações com a pandemia de Covid-19. Então, algumas linhas de raciocínio são possíveis:

1. As transformações na medicina, como a maior utilização da telemedicina;

2. Os benefícios do SUS para a saúde pública;

3. Os desafios do uso da tecnologia no âmbito educacional;

4. A universalização do saneamento básico no Brasil;

5. O combate aos maus tratos dos animais.

Deixe seu comentário