Correios: 700 mil objetos não foram entregues com a greve

Continua após a publicidade
blank

Uma estimativa realizada pelo Sindect (Sindicato dos Trabalhadores dos Correios de São Paulo) apontou que por volta de 700 mil objetos deixaram de ser entregues. A pesquisa só contabilizou a região do Grande ABC, e apontou uma média de 100 mil produtos por dia.

A região possui 19 centros de distribuição de entregas, com cerca de 1.200 funcionários. De acordo com os servidores, aproximadamente, 80% dos empregados aderiram à greve, que se iniciou na segunda-feira (17).

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A categoria protesta contra a retirada de direitos trabalhistas pela estatal. Do mesmo modo, pela falta de medidas para proteger os funcionários durante a pandemia de Covid-19. Dessa forma, a empresa cancelou no dia 1º de agosto, 70 de 79 cláusulas do acordo de convenção coletiva.

Além disso, o Ministério Público do Trabalho, por meio da Procuradoria Geral do Trabalho, requereu nesta terça-feira (25) oficialmente ao TST (Tribunal Superior do Trabalho) a reabertura do processo. Este, resultou no dissídio coletivo com validade por dois anos.

No pedido, o MPT destacou a insegurança jurídica provocada pela decisão do STF (Supremo Tribunal Federal). Na sexta-feira (21), o STF havia suspendido o acordo coletivo da categoria.

Deixe seu comentário