Câmara de Mauá reprova impeachment de Atila Jacomussi

Continua após a publicidade
blank

Na tarde desta terça-feira (04), os vereadores da Câmara Municipal de Mauá, não aprovaram o pedido de impeachment do prefeito da cidade Atila Jacomussi (PSB).

A solicitação do afastamento do cargo do chefe do executivo, se baseava na denúncia de crime de responsabilidade na Operação Trato Feito deflagrada em 2018.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A princípio, a defesa do prefeito fez um pedido de Tutela Antecipada, que foi aceito desembargador Ribeiro de Paula em abril de 2019. No entanto, a Corte analisou e liberou o prosseguimento da denúncia, por quatro votos a um – na quarta-feira (29).

Contudo, a pauta não conseguiu atingir o voto favorável da maioria absoluta dos parlamentares e foi recusada.

Outros pedidos de impeachment na gestão

Em abril do ano passado, Atila chegou a ser cassado dentro de um outro âmbito de impeachment. Na época, a intenção do pedido era declarar vacância do cargo durante o período em que esteve preso. Porém, o TJ-SP reconduziu o político ao cargo, anulando o processo. Do mesmo modo, a Justiça de Mauá julgou o mérito e anulou a cassação em março deste ano.

Além disso, a Câmara já rejeitou outro pedido de impeachment em junho. Na oportunidade, denúncia citava supostas ilegalidades no contrato de gestão do Hospital de Campanha – construído para atendimento dos pacientes da Covid-19.

Deixe seu comentário