Procon multa 7 estabelecimentos por abusos durante a pandemia em Mauá

Continua após a publicidade
blank

Dentre os dias 19 de março e 24 de julho deste ano, o Procon-SP fiscalizou 249 estabelecimentos comerciais localizados no Grande ABC. A princípio, o objetivo da ação, foi punir os locais com preços abusivos e outras ilegalidades praticadas por fornecedores durante a pandemia. Em Mauá, foram 7 multados e 32 investigados.

De acordo com o Consórcio Intermunicipal do Grande ABC – que foi parceiro do Procon estadual e dos sete órgãos municipais durante a operação, foram apurados fornecedores de insumos hospitalares; supermercados; revendedoras de gás e postos de combustíveis e farmácias. Grande parte das fiscalizações, foram motivadas por denúncias de consumidores.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Além disso, em toda a região das sete cidades, foram 240 comércios notificados e obrigados a apresentar cópias de cupons de venda ao consumidor e as notas fiscais de entrada de itens considerados essenciais. Tais como, alimentos; botijão de gás de 13kg; máscaras de proteção e álcool em gel.

Contudo, os processos de 47 empresas resultaram em autuação e apenas 8 foram arquivados pela ausência de irregularidades até o momento. Ainda estão em análise outros 185 lugares, ou seja, poderão ou não resultar em autuação. O Procon-SP, não revelou a identidade dos locais averiguados.

Por sua vez, Mauá ocupa a quarta colocação no que se refere ao número de estabelecimentos autuados. Os primeiros são: Diadema (10 estabelecimentos, de 33 fiscalizados); seguido der Santo André (9 estabelecimentos, de 53 fiscalizados); Rio Grande da Serra (8 estabelecimentos, de 27 fiscalizados).

Posteriormente, no quinto lugar em diante aparecem: São Bernardo do Campo (7 estabelecimentos, de 46 fiscalizados); Ribeirão Pires (4 estabelecimentos, de 26 fiscalizados); e São Caetano do Sul (2 estabelecimentos, de 23 fiscalizados).

Deixe seu comentário