Data para retomada dos treinos no futebol paulista é definida

Continua após a publicidade
blank

O Governador João Doria confirmou nesta quarta-feira (17) a autorização para a retomada de treinamentos pelos clubes de futebol de São Paulo a partir de julho. A liberação impõe um protocolo de segurança que prevê testagem periódica de atletas e demais profissionais e medidas de distanciamento durante atividades individuais. No entanto, ainda não há data prevista para o retorno de competições oficiais.

A liberação foi decidida na véspera, em reunião entre representantes do Governo do Estado, clubes, Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo e Federação Paulista de Futebol. O protocolo sanitário e de segurança foi submetido à análise e aprovado por especialistas do Centro de Contingência do coronavírus do Estado.

O retorno aos treinos só será permitido depois que atletas e demais profissionais forem submetidos a exames prévios do tipo PCR – com coleta de amostras de mucosa nasal e saliva – e os chamados testes rápidos, que são feitos geralmente com a coleta de uma pequena amostra de sangue.

O teste PCR serve para confirmar ou não se a pessoa está com o coronavírus. Já o teste rápido determina se a pessoa teve contato anterior com o vírus e agora possui anticorpos contra o organismo causador da COVID-19. O protocolo recomenda a repetição dos testes entre os profissionais de futebol a cada semana.

Critérios

A princípio, os treinos só deverão envolver atividades físicas individuais, com limitação no número de pessoas presentes e veto à presença de jornalistas ou público. Atletas e demais profissionais deverão respeitar distanciamento mínimo e o uso de máscaras é obrigatório, exceto quando a proteção prejudicar o desempenho dos jogadores.

Além disso, profissionais com idade a partir de 60 anos ou portadores de doenças crônicas não devem participar dos treinamentos. O acesso ao espaço de treinamentos terá entrada única, com medição de temperatura e questionário sobre apresentação de sintomas comuns a síndromes gripais. Cada clube deverá manter um registro de casos suspeitos, testes realizados e diagnósticos confirmados com análise periódica das informações.

Médicos, fisioterapeutas e demais profissionais de saúde deverão sempre usar equipamentos de proteção individual durante as atividades com atletas. Os clubes também deverão fazer divulgações periódicas de conscientização, como por exemplo, medidas de higiene pessoal e distanciamento social fora do ambiente profissional.

Por fim, em caso de casos confirmados de contaminação pelo coronavírus, os pacientes deverão ser imediatamente isolados, além de monitoramento e testagem de pessoas com quem tiveram contato dentro e fora dos clubes. O Governo do Estado deve anunciar protocolos e medidas de segurança para liberar as demais modalidades, em âmbito amador ou profissional, no próximo dia 26.

Deixe seu comentário