Mauá não vota corte de salário dos vereadores

Continua após a publicidade
blank

Três semanas após a decisão dos deputados estaduais de reduzirem os próprios salários para diminuir o rombo econômico gerado pela pandemia do novo coronavírus, a cidade de Mauá ainda não deu sequência ao plano. A Câmara Municipal não funciona desde o início da quarentena no Estado.

O vereador Adelto Cachorrão (Republicanos), chegou a protocolar o projeto de lei para cortar em 20% os subsídios dos 23 vereadores – o que representaria R$ 2.405 dos salários brutos, de R$ 12.025. Tendo em vista a paralisação das sessões, o texto ficou preso às comissões, sem apreciação.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Além disso, parte dos parlamentares da oposição ao prefeito Atila Jacomussi (PSB), tentaram dar força ao discurso de redução dos salários. No entanto, encontraram resistência dentro do próprio movimento.

No Grande ABC somente vereadores de Mauá e São Bernado do Campo, não deram sequência até então, a medidas de cortes salariais.

Para obter informações sobre possíveis sessões online – já adotada por diversas cidades no ABC – a equipe do MauáAgora, contatou o presidente da Câmara Neycar (SD). Porém, de acordo com ele, nada foi definido.

Deixe seu comentário