Atila Jacomussi busca antecipação do julgamento sobre o impeachment

O prefeito Átila Jacomussi (PSB) foi à Justiça de Mauá para pedir a antecipação do julgamento a respeito do seu pedido de anulação do impeachment, cuja liminar foi negada na primeira instância, mas concedida em setembro pelo TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo).

Segundo os autos do processo que tramita na 5º Vara Cível, sob responsabilidade do juiz Rodrigo Soares, há uma necessidade do adiantamento do julgamento em Mauá por conta de um recurso contra o retorno de Atila que a vice-prefeita, Alaíde Damo (MDB), instaurou na semana passada.

Segundo Alaíde, a cassação do prefeito é legal, pois ele desrespeitou a LOM (Lei Orgânica do Município) que não permite ao chefe do Executivo permanecer por mais de 15 dias longe do Paço. Atila ficou fora da prefeitura por 64 dias quando foi preso em decorrência da Operação Trato Feito.

Com 16 votos favoráveis, Atila Jacomussi teve seu mandado cassado no dia 18 de abril na Câmara de Mauá, acusado de permanecer mais dias do que o permitido longe do Paço Municipal.

Deixe seu comentário