Funcionários da Saúde entram em greve a partir de terça-feira (17)

Na semana em que o prefeito Atila Jacomussi (PSB), iniciou conversas com a FUABC (Fundação do ABC), para retomar a administração da saúde de Mauá, funcionários da empresa anunciaram a paralisação por meio de greve à partir de terça-feira (17) por tempo indeterminado.

Funcionários aderem à greve a partir de terça-feira (17), por tempo indeterminado. (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

Os funcionários da FUABC, alocados em hospitais, UBSs (Unidades Básicas de Saúde) e UPAs (Unidades de Pronto Atendimento), decidiram aderir à paralisação em protesto ao não cumprimento da Convenção Coletiva de Trabalho de 2019 por parte da empresa.

Em comunicado oficial do Sindsaúde ABC, sindicato que representa a categoria, a exigência é de que se façam os reajustes salariais de acordo com os dissídios que desde 2016 correm em processo na Justiça do Trabalho e as devidas reposições de acordo com a inflação que já deveriam ter sido aplicadas nos salários de agosto e não ocorreu.

Por se tratar de serviço essencial à população, é previsto por lei que o aviso de greve seja protocolado com antecedência de 72 horas e se mantenha no mínimo 70% dos trabalhadores em atividade.

Segundo o sindicato, foi protocolado o aviso de paralisação na FUABC na sexta-feira (13), dessa forma ficando dentro do prazo previsto.Vale informar que médicos e enfermeiros não integram o estado de greve anunciado.

Apenas técnicos, auxiliares, agentes comunitários de saúde e pessoal administrativo, estão entre os serviços paralisados. Ainda de acordo com Sindsaúde em nota oficial divulgada na data de ontem (14), é esperado para amanhã uma reunião entre o sindicato e os trabalhadores da Fundação ABC.

O resultado será divulgado na própria segunda-feira no período da tarde.

Deixe seu comentário
blank

Comments are closed.