Prefeitura de Mauá realiza ações na unidade escolar durante Setembro Amarelo

Publicidade

Olhares atentos em sala de aula podem ser o primeiro passo na prevenção ao suicídio. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que a prática é a quarta principal causa de morte entre jovens no Brasil. 

No cotidiano escolar, é comum professores perceberem mudanças no comportamento dos alunos, o que pode ser indicativo de algum problema psicológico. “Quando notamos algo diferente, chamamos o aluno para conversar. Auxiliamos da melhor forma e, quando possível, atuamos como ponte junto à família. É essencial que os familiares participem desse processo. A escola não interfere, mas se faz presente como intermediadora da situação”, afirmou a coordenadora pedagógica da Escola Municipal Cora Coralina, Denirane de Abreu Lopes Ferreira. 

A unidade escolar é a única da rede municipal de educação que possui estudantes de Ensino Fundamental I e II. No mês de setembro, dedicado à prevenção ao suicídio, a Prefeitura de Mauá realiza diversas ações na escola para conversar com os adolescentes sobre o assunto. 

Campanha da Prefeitura de Mauá Foto/ Divulgação

Denirane relatou que problemas de autoaceitação e de sexualidade são as principais aflições dos jovens atualmente. Pensando nisso, serão colocados painéis por todo o prédio com frases que aumentem a autoestima dos alunos em inglês, espanhol e português. “Além de trabalharmos a linguagem, mostramos para os jovens que eles têm muito valor e são importantes”, declarou a coordenadora. Também deve ser realizada palestra com psicólogos para falar sobre autoestima e aceitação. 

Em parceria com a Unidade Básica de Saúde do Jardim Kennedy, a escola recebeu dois médicos que também conversaram com os adolescentes sobre autoestima e sobre as inseguranças típicas da adolescência. “Quando percebemos casos mais graves e que o acolhimento escolar não foi suficiente, encaminhamos para atendimento psicológico na UBS”, completou a coordenadora.

Deixe seu comentário