3º Festival de Combate à LGBTfobia reúne mais de 4 mil pessoas

Publicidade

Nesse sábado, dia 1º de junho, o 3º Festival de Combate à LGBTfobia de Ribeirão Pires reuniu mais de 4 mil na Praça Central da Vila do Doce – região central da cidade. O evento, que contou com atrações culturais e serviços de saúde gratuitos, encerrou o mês de promoção ao Combate à LGBTfobia – comemorado internacionalmente no dia 17 de maio.

O Festival teve como atrações os DJs Carlos Fell e Paulo Pringles – da rádio Jovem Pan, a drag queen Lucas Miziony, além das apresentações de dança da Associação Oficina do Corpo e Cia de Dança João Roncon Arte em Movimento. O encerramento do evento ficou por conta das cantoras Lia Clark e Karol Conka, que agitaram o público presente.

Promovido pela Prefeitura, por meio das Secretarias de Turismo e Desenvolvimento Econômico e de Saúde, com apoio do Conselho Municipal de Atenção à Diversidade Sexual, em parceria com a Associação Ribeirão-pirense de Apoio LGBT (ARPA-LGBT) e Grupo de Apoio à Diversidade (GAD), o 3º Festival de Combate à LGBTfobia teve por objetivo celebrar a diversidade e dar visibilidade para a população LGBT, comemorando, também, a conquista de políticas públicas voltadas ao tema.

Morador do Jardim Luso, Leonardo Vinícius de Faria Azevedo, 19 anos, acredita que o evento traz amplitude ao tema LGBT em uma cidade pequena como Ribeirão Pires. “Eu quero andar pela cidade onde moro com orgulho, sem medo de ser desrespeitado, discriminado ou sofrer qualquer tipo de violência. Hoje a palavra que define o evento é força. O dia de hoje nos traz força para continuar a luta”, explicou.

Para o presidente do GAD, Wagner Lima, o evento se consolidou nesta edição e encerra um mês de luta, com diversas atividades de conscientização promovidas pela cidade. “Com o evento, mostramos que as políticas públicas estão no caminho certo, acolhendo essa camada da sociedade e dando visibilidade a luta contra a LGBTfobia. O Festival não é a festa pela festa, tem por objetivo reunir não só o LGBT, mas a comunidade ribeirão-pirense, através de um único propósito: uma sociedade mais acolhedora e igualitária”, concluiu.

Segundo o Presidente do COMADS e da ARPA LGBT, Rafael Ventura, o evento é de grande importância para a cidade “É o momento em que diversas pessoas, apesar de suas diferenças individuais, se unem contra o preconceito e pelo amor ao próximo acima de tudo. Não é apenas uma festa pela a festa, mas um momento para mostrar que estamos aqui e merecemos respeito”.

Conscientização e saúde – A Secretaria de Saúde, por meio do SAE – Serviço de Atenção Especializada do município, também esteve presente no evento. Equipes do Programa IST/Aids/Hepatites Virais, em parceria com a Ong Barong, realizaram ação preventiva durante a festa.

No total, foram realizados 64 testes de HIV e Hepatite C, vinte encaminhamentos para atendimento no SAE e distribuição de mais de mil kits – com preservativos masculinos e femininos, gel lubrificante, ducha higiênica e material informativo.

Garantia de direitos – Ainda no mês de maio, a Prefeitura de Ribeirão Pires promoveu formação de servidores públicos referente à Rede de Atendimento à população LGBT. A atividade aconteceu na Câmara Municipal da cidade.

No total, 75 profissionais das secretarias de Saúde, Educação, Segurança, Cultura e do Posto de Atendimento ao Trabalhador participaram da ação, que teve por objetivo humanizar os atendimentos prestados nos serviços públicos da Estância.

Os profissionais acompanharam palestras sobre os temas “Identidade de Gênero/ Vivência/ Discriminação e Políticas Públicas”, ministrada pelo presidente do GAD, Wagner Lima, e pelo coordenador Gênero e Diversidade Sexual da Secretaria de Participação e Inclusão Social, Vitor de Oliveira Lopes; e “Saúde da população LGBT”, ministrada por Nanci Garrido, psicóloga especialista em IST/Aids e responsável técnica pelo Programa IST/Aids  do município.

O evento de formação foi promovido pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Participação e Inclusão Social, em parceria com o GAD – Grupo de Apoio a Diversidade e a ARPA – Associação Ribeirão-pirense de Apoio LGBT, com apoio da Secretaria de Saúde, OAB RP e Conselho Municipal de Atenção à Diversidade Sexual. 

Deixe seu comentário