Na última quinta-feira (20), o prefeito Atila Jacomussi (PSB) teve um pedido de habeas corpus rejeitado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). Impetrado pela defesa na última segunda-feira (17), o pedido foi julgado pelo ministro Rogerio Schietti Cruz, da sexta turma da Corte. Esse mesmo magistrado havia barrado as tentativas de Atila deixar a prisão em maio, quando foi preso no âmbito da operação Prato Feito, também da PF, que deu origem à Trato Feito, deflagrada na semana passada.

A defesa de Atila ainda aguarda o julgamento do pedido de habeas corpus que está no Supremo Tribunal Federal (STF). Devido ao sorteio, o caso caiu nas mãos do ministro Gilmar Mendes, que concedeu liberdade após a primeira prisão do socialista. Contudo, a Suprema Corte entrou em recesso e Mendes não emitiu nenhum parecer. Se o presidente do STF, Dias Toffoli, não se posicionar, Jacomussi terá de esperar mais alguns dias.

A defesa de Atila nega as acusações e avalia que a segunda prisão é desmedida e com fatos requentados, uma vez que não houve fato novo que justificasse a prisão. Atila está no presídio de Tremembé, no Interior. 

Deixe seu comentário