O prefeito de Mauá, Atila Jacomussi (PSB), afirmou que Mauá seguirá vinculada ao Consórcio Intermunicipal do Grande ABC. O prefeito toma rumos diferentes dos chefes do Executivo de Rio Grande da Serra, São Caetano e Diadema (no ano passado), que optaram por deixar a entidade.

A Câmara de São Caetano aprovou, em sessão extraordinária, projeto do prefeito José Auricchio Jr. (PSDB) que autorizava o município a deixar o Consórcio. Em Rio Grande da Serra, a Câmara aprovou a saída do Consórcio em maio, mas o prefeito Gabriel Maranhão (sem partido) só agora deu continuidade aos procedimentos – entregar à entidade a comunicação do desligamento.

Atila disse que “o Consórcio foi grande marco, ícone, que projetou o Grande ABC, pelas mãos inicialmente do prefeito Celso Daniel (PT, de Santo André, morto em 2002), e até hoje deixa saudade, não só como gestor da cidade, mas como gestor, pensando no Grande ABC. Foi um idealizador, sonhador”. O prefeito ainda disse que “tem que fazer mais assertivo, e que trabalhe em cima dos grandes projetos do Grande ABC” e que não será ele que vai apagar o sonho de um idealizador. Por fim, disse que não será Mauá que “puxará a fila” para o fim do Consórcio.

Sobre o Consórcio 

O Consórcio Intermunicipal Grande ABC reúne os municípios do Grande ABC para o planejamento, a articulação e definição de ações de caráter regional.

A entidade foi fundada em 1990 por Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra. Desde 8 de fevereiro de 2010, a entidade passou a ser o primeiro consórcio multissetorial de direito público e natureza autárquica do país. Nesta data, os prefeitos dos sete municípios instalaram a Assembleia Geral nos moldes do Contrato de Consórcio Público.

 

Deixe seu comentário