Mauá foi a cidade mais afetada da região com a saída dos médicos cubanos do Programa Mais Médicos, do Governo Federal. Ao todo, dos 42 médicos que atuavam na cidade pelo programa, 33 eram cubanos. No ABC, 77 vagas ficaram vazias com a saída dos profissionais. Com inúmeras vagas abertas pelo país, o Ministério da Saúde abriu um edital para o preenchimento das vagas em aberto em todo Brasil. Até o momento, apenas 30 médicos se interessaram para as vagas e 18 assumiram os postos abertos no Grande ABC. Eles estão instalados em Santo André (sete), São Bernardo (sete) e Mauá (quatro).

Em Mauá, dos 32 médicos que se inscreveram para substituir os cubanos, somente sete entregaram documentação e se comprometeram a assumir o cargo. Destes, quatro deram início ao atendimento na última segunda-feira (3). Outros três começam a atuar na próxima semana. O município também registou a desistência de um dos 33 médicos que se cadastraram aos postos.

Os que ainda não começaram a trabalhar estão em fase de entrega de documentação e mudança para os municípios.

Deixe seu comentário