A partir de 1º de dezembro, que marca o Dia Mundial de Combate à Aids, os munícipes terão à disposição os serviços gratuitos para diagnósticos de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) em Unidades Básicas de Saúde (UBSs), como HIV, sífilis e hepatites B e C. A ação ocorre pela campanha estadual “Fique Sabendo”, com o objetivo incentivar a realização de testes e medidas de prevenção. Segundo a Vigilância Epidemiológica, vinculada à Secretaria de Saúde, 247 pessoas foram detectadas com uma dessas enfermidades em 2018.
No primeiro dia de campanha, cinco UBSs abrirão em pleno sábado exclusivamente para realização de exames. Os postos que darão a largada no mutirão são os postos do Jardim Zaíra II, Vila Assis, Vila São João, Vila Magini e Jardim Flórida. No domingo (2), os equipamentos não abrirão, mas na segunda-feira seguinte até sexta-feira – dia 3 ao 7 do próximo mês –, a oferta será ampliada para todas as 23 unidades da rede.
A partir do dia 3 de dezembro, também integrarão a campanha o Centro de Especialidades de Mauá (Cema) e os Centros de Atenção Psicossocial (Caps). Além de realizar diagnósticos de doenças sexualmente transmissíveis, o Centro de Referência em Saúde (CRS) oferecerá tratamento para casos positivos. O equipamento está na Rua Doutor Benedito Meireles Freire,193, Vila Vitória, com atendimento de segunda a sexta-feira, das 7h às 17h.
Até a última sexta-feira (23), foram detectados 20 casos de soropositivos, enquanto houve 179 diagnósticos de sífilis, 38 de hepatite C e dez de hepatite B em 2018. A expectativa do governo é que sejam oferecidos 3 mil atendimentos neste ano, número superior às demandas registradas na campanha de 2017, com 2 mil exames.
Para HIV e sífilis, os exames serão realizados com uma gotinha de sangue ou até mesmo com fluído oral especificamente para detecção do vírus da Aids. O atendimento têm a garantia de sigilo aos pacientes, acompanhados de profissionais para orientar sobre resultado, seja positivo ou negativo. No caso do HIV, o diagnóstico sairá em aproximadamente 30 minutos, ao mesmo tempo em que os testes de sífilis e hepatites necessitam de procedimentos complementares.
Fazer o teste e tomar conhecimento do resultado são passos decisivos pela saúde do paciente e do cônjuge. Caso se confirme a infecção do vírus, o morador é encaminhado para iniciar o tratamento imediato no CRS. A unidade oferece sessão de aconselhamento, apoio emocional e informações sobre HIV e outras DSTs, a fim de ajudar na avaliação de riscos e melhores maneiras de prevenção.
Deixe seu comentário