O vereador Samuel Enfermeiro (PSB), recuou em relação a apresentar uma CPI para averiguar a situação da saúde municipal. O parlamentar apresentou apenas um projeto para a criação de uma CEA (Comissão Especial de Acompanhamento) para realizar auditoria na área. Essa volta atrás causou estranheza nos demais vereadores, já que uma CPI da maior poder de investigação. Na CEA, a atuação fica limitada a convites, que podem ser negados.

O vereador Marcelo Oliveira (PT) disse que Samuel ainda teria dito que “combinou” a mudança com o prefeito Atila Jacomussi (PSB). “O Samuel disse isso quando fez uso da palavra. Eu achei muito estranho”. Manoel Lopes (DEM) também não gostou da atitude do parlamentar. Segundo o democrata, o colega ainda quis retirar a matéria da pauta, mas a ação desobedecia ao regimento interno da Casa. “Na semana passada, ele chamou os vereadores de Mauá de omissos. Agora ele volta atrás e deixa de abrir uma CPI? Não é coerente”.

Apesar de ter obtido número suficiente de colegas para abrir a CEA – oito votos – a análise da matéria foi adiada por cinco sessões, já que Samuel levantou algumas dúvidas sobre a implementação do próprio projeto. Na última semana, o vereador abriu mão do seu salário, além do carro oficial e do celular oficial. Segundo ele, as medidas são para ajudar a cidade.

Deixe seu comentário