Mauá viveu tempos difíceis nos últimos meses. A grave crise financeira, que atingiu principalmente as áreas da saúde e da segurança pública, fez com que a prefeita interina há três meses atrás, Alaíde Damo (MDB), decretasse estado de calamidade financeira. Decreto esse que foi revogado por Atila Jacomussi (PSB), há um mês atrás. O paço estimou, na época, que a dívida há longo prazo era de R$1 bilhão. Além de revogar o decreto, Atila fez medidas uma série de medidas para conter gastos.

Vendo a crise financeira e todas as dificuldades financeiras que a cidade vêm atravessando, o vereador Samuel Enfermeiro (PSB), revelou na sessão ordinária da última terça-feira (6), que vai abrir mão do seu salário de parlamentar, que gira em torno de R$12,3 mil por mês e outros benefícios. Além do salário, Samuel vai devolver o celular corporativo e carro oficial.

Segundo ele, a intenção é ajudar a cidade e que o dinheiro voltará para os cofres da Câmara de Vereadores, porém, afirma que não sabe o que o regimento interno fará com o dinheiro.

Deixe seu comentário