As provas para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018 começam neste domingo (4) e continuam no dia 11 de novembro. A proximidade das datas movimenta alunos, professores e coordenadores, que buscam criar o melhor ambiente para que os estudantes se sintam seguros e confiantes com o momento decisivo. Para a véspera dos exames, professores indicam combater a ansiedade com algo relaxante, além de dormir bem e organizar lanches e materiais para o dia de prova.

O professor de matemática do Colégio Objetivo Brasília, Leo Jabá, trabalha há 8 anos na área e garante que, após um ano de rotina de estudos, o momento é de manter a tranquilidade. Para os dias anteriores ao inícios das provas ele indica que os alunos façam uma retrospectiva de tudo o que foi estudado. “Repense nos simulados que você fez, além das aulas e exercícios. Faça questões anteriores, cronometrando o seu tempo. Relaxe com amigos e familiares na véspera para controlar a ansiedade”, destaca.

Os professores, que conhecem de perto as provas, tranquilizam os alunos mostrando que eles deram o seu melhor na sala de aula e que o dia da prova será somente para mostrar todo o conhecimento. O professor Leo lembra: “Na hora da prova, se sentir que está ficando nervoso, peça para sair da sala, vá ao banheiro e respire lentamente. Não se prenda às questões difíceis, pule para aquelas que você sabe e depois, com calma, retorne”.

Confira  dicas para o dia da prova:

1. Não estude no dia da prova. Durma cedo no dia anterior e relaxe a mente

2.Coma alimentos saudáveis e respeite os horários das refeições

3.Separe o material necessário para a realização da prova com antecedência.

4. Fazer tudo direitinho o ano todo e ser eliminado porque fez uma selfie na sala de prova é marcar muita bobeira, certo? Se estiver com o celular, coloque o aparelho dentro da sacola, embaixo da carteira, e se preocupe apenas com o gabarito.

5. Fique ligado quanto aos enunciados, pois as questões pedem um bom raciocínio lógico e à resolução prática de problemas.

Confira dez dicas para ir bem na redação do Enem: 

1 . Preparação (Informe-se) – Ninguém sabe qual será o tema da redação, mas é tradição da banca escolher assuntos da atualidade. Portanto é importante ficar atento as principais notícias no Brasil, o que ocorre no exterior pode até surgir na redação, mas apenas como fator secundário e elemento de comparação. Procure demonstrar no seu texto conhecimento sobre o tema em relação à nossa realidade.

2. Rascunho (Rabisque suas ideias)

Antes de começar a escrever, faça um rascunho com as principais ideias sobre o tema.

Entenda se o seu texto será uma dissertação (explicação ou exposição de ideias de acordo com seu ponto de vista) ou argumentação (defesa de argumento, que pretende convencer o leitor sobre o seu ponto de vista). Quando você for capaz de imaginar o texto, é hora de começar a escrever.

3. Estilo (evite a primeira pessoa)

No Enem, as redações devem ser impessoais, isto é, redigidas em terceira pessoa do plural. Evite utilizar chavões “em minha opinião”, “eu acho que”, “eu considero”, afinal, textos em primeira pessoa são zerados. Por outro lado deve-se evitar a voz passiva. Use a ativa, desta forma o texto torna-se mais conciso e de fácil compreensão. A passiva deixa sem graça, cansativo.

4. Gramática (atenção nas regras)

Gramática correta e caligrafia legível são essenciais na redação. A dica aqui é treinamento! Escreva o máximo possível antes da prova e atenção aos erros. Lembre-se de revisar o texto todo (se houver tempo).

5. Introdução (primeira impressão)

O primeiro parágrafo serve como uma introdução à linha de pensamento que você irá seguir. Dedique algum esforço na apresentação do assunto. É importante que o primeiro parágrafo prenda a atenção de quem está lendo.

6. Clareza e coesão (não se perca)

Atenção para o raciocínio do seu texto, procure não se perder nas ideias, seja simples, direto e claro. Trabalhe com parágrafos mais curtos (cerca de 3 a 5 linhas). Como dito anteriormente, revise sempre que possível a gramática e também a coesão. O texto deve fazer sentido do começo ao fim.

7. Desenvolvimento (conteúdo)

Demonstre seu conhecimento. Utilize dados (reais) históricos e estatísticos, estudos, comparações e citações sobre o assunto. A ideia aqui é que seu texto traga conteúdo relevante e não apenas “achismos”.

8. Contra-argumentos (diferentes pontos de vista)

Se o tema tratar de um assunto “polêmico”, é interessante trazer visões opostas e diferenciadas das que você mesmo colocou. O objetivo é gerar reflexão, isso deixa o texto mais instigante. Mas cuidado, mantenha sempre certa neutralidade, você deve escrever de acordo com a sua ideologia. Lembrando que ideias ofensivas, preconceituosas e muito radicais não são bem vistas na correção.

9 – O que não fazer?

O que evitar no texto:

– Evite chavões, gírias, provérbios e citações;
– Não use palavras rebuscadas, que sejam de difícil conhecimento, mostrar que você possui um vasto vocabulário não é sinônimo de boa nota na redação;
– No final, evite anunciar o desfecho, isso enfraquece o texto, expressões como “em suma”, “concluindo”. Prefira utilizar “Assim”, “portanto” e equivalentes para manter um encerramento mais fluido e interessante.

10. Conclusão (fechamento)

O final do texto é tão importante quanto a introdução, de nada adianta causar uma boa impressão no início e desenvolvimento e decepcionar no desfecho. É o momento que você deve apresentar os resultados de seus argumentos. É importante propor soluções para as dúvidas e problemas que você levantou no decorrer do texto, tendo o seu ponto de vista com maior destaque.

Deixe seu comentário