Os hemocentros da região do ABC estão em estado preocupante. Segundo reportagem de um jornal da região, o estoque de bolsas de sangue são suficientes para apenas uma semana. Já as bolsas de Rh negativo (pessoa não possui a proteína D nos glóbulos vermelhos e não podem receber transfusão de Rh positivo, porque pode destruir as hemácias recebidas) estão em estado mais crítico, já que podem durar apenas cinco dias.

As informações sobre os bancos de sangue são da Associação Beneficente de Coleta de Sangue (Colsan), que administra quatro postos na região (dois em Santo André, um em São Bernardo e um em São Caetano) e atende nove hospitais públicos do ABC, incluindo três da baixada santista. A entidade informa que o ideal seria um estoque para 20 dias.

No último mês de setembro, a média deveria ter sido de 7,3 mil doadores. Porém, só receberam 4.980, o equivalente a 67% da capacidade de atendimento. Já nos primeiros dez dias de outubro, a expectativa era receber 2.700 pessoas, mas só 1.511 doadores compareceram. São coletados, por doação, de 380 ml a 400 ml de sangue, que pode ajudar até quatro pacientes.

Para doar é preciso ter entre 16 e 69 anos (sendo que a primeira doação deve ter sido feita até 60 anos), pesar acima de 50 quilos, estar em boas condições de saúde e estar alimentado, tendo evitado refeições gordurosas nas três horas que antecedem a doação. Ao chegar ao hemocentro, é preciso apresentar documento original com foto. Mulheres podem doar sangue até três vezes por ano, com intervalo de três meses. Já os homens, quatro vezes ao ano, com pausa de dois meses. Todo o processo (cadastro, pré-triagem, triagem e coleta) dura cerca de 45 minutos.

Lançado pela Colsan em julho, o aplicativo Time do Sangue permite agendar local, dia e horário para doar sangue. O download é gratuito. Endereços e horários dos hemocentros podem ser acessados no site www.colsan.org.br. 

 

Deixe seu comentário