A BRK Ambiental, empresa que cuida do saneamento básico do município, iniciou no dia 19 de setembro um cronograma que prevê oito apresentações de teatro de fantoches com escolas municipais.

A ação tem um foco no desenvolvimento sustentável, inclusivo e é realizada, em parceria com a Secretaria de Educação, nas escolas localizadas próximas aos córregos do município, fortalecendo assim a relação dos alunos com as águas que cortam a cidade.

O teatro de fantoches é utilizado como um recurso educativo transmitindo informações sobre saneamento e educação ambiental. O intuito é atender os alunos do Grupo 5 ao 1º Ano do ensino fundamental, na faixa etária entre 5 a 7 anos, promovendo conscientização ambiental por meio da sensibilização das crianças de escolas públicas do município para os desafios ambientais da cidade.

Por meio dos personagens é possível despertar o interesse para temas voltados para a preservação do meio ambiente como a coleta e o tratamento do esgotamento sanitário, reciclagem, a destinação correta do lixo, o descarte adequado do óleo de cozinha, a importância de não ligar águas pluviais à rede de esgoto, entre outros. É uma metodologia mais divertida para alunos que no final acabam se tornando multiplicadores das informações.

As apresentações do teatro de fantoches são realizadas após o programa Portas Abertas, onde os alunos das Escolas Públicas Municipais, assim como os mais diversos representantes da sociedade local participam de visita guiada nas instalações da Estação de Tratamento de Esgotos.

Além de receberem todas as dicas da forma correta de utilização do Sistema Público de Esgotamento Sanitário, desde a coleta do esgoto nas residências até o seu transporte para Tratamento na ETE – Mauá, os visitantes conferem o tratamento diário de mais de 50.000.000 de litros de esgoto que deixam de ser despejados nos córregos da cidade e no rio Tamanduateí e têm acesso a uma “maquete dinâmica” que conta com informações sobre todos os equipamentos necessários para executar a interligação das tubulações de esgoto dos imóveis ao Sistema Público.

Deixe seu comentário