A busca pelas correções das imperfeições no corpo é, para muitos, um desafio diário e, para outros apenas uma situação reparadora. Um procedimento muito utilizado para resolver tais questões são as cirurgias plásticas que vêm crescendo no Brasil. Segundo censo realizado em 2016 pela SBCP – Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, as intervenções reconstrutoras ou estéticas aumentaram 23% e 8%, respectivamente, em relação a 2014.

De acordo com o cirurgião plástico Rodolfo Castro Mesquita do hospital Santa Casa de Mauá, os benefícios de um procedimento são sempre grandes, seja no cuidado de queimaduras, tumores cutâneos, retalhos ou enxertos. Atualmente, as cirurgias plásticas mais procuradas no Brasil, na área estética são a lipoaspiração, abdominoplastia e prótese mamária de silicone.

Com a melhora da estética, o psicológico e o social também são beneficiados, pois muitos pacientes buscam uma cirurgia plástica não só pela beleza. “Em todas as situações, a atuação do médico é de extrema importância para intervir quando necessário, alertar quando não há necessidade do procedimento, as complicações e que o resultado esperado pode não ser atingindo”, explica o médico.

O primeiro passo para o sucesso de uma cirurgia estética é a escolha de um bom profissional, assim como em qualquer cirurgia, a segurança é o quesito mais importante. No portal da SBCP (www2.cirurgiaplastica.org.br/ ) há uma relação de médicos credenciados e habilitados, na área especifica da plástica.  Vale a pena consultar.

“Os profissionais adequados para fazer cirurgia plástica, obviamente são os cirurgiões plásticos, mas as pessoas não têm obedecido a essa regra, o que gera um risco muito grande. O fato de ser médico não habilita o profissional a realizar cirurgias plásticas. Com a realização do procedimento pelo profissional correto, o índice de complicações é consequentemente menor, mas nunca zerado, pois toda cirurgia oferece riscos”, acrescenta Rodolfo Castro Mesquita.

O local onde será realizada a cirurgia também é de suma importância. Vale lembrar que cirurgias maiores como abdominoplastia, lipoaspiração, mamoplastia, entre outras, devem ser realizadas em hospitais com centros cirúrgicos adequados. Os procedimentos menores, que compreendem pequenas retiradas de pele ou lesões, com anestesia local, podem ser realizados em ambulatórios, clínicas e consultórios.  Outro fator importante que deve ser observado pelo paciente é a exigência do profissional por exames pré-operatórios a fim de analisar as condições de saúde do paciente.

Algumas cirurgias plásticas não são recomendadas até o desenvolvimento completo do corpo, como por exemplo, o implante de próteses mamárias que deve ser feito após o final da adolescência. Há cirurgias que fazem parte da pequena infância, como a otoplastia (orelha de abano), a qual muitas vezes compromete o psicológico. Também é comum um recém-nascido possuir um dedo extranumerário (dedo a mais) e a amputação é feita ainda quando bebê.

Seguir as orientações do pré e pós-operatório também colaboram para o sucesso da cirurgia plástica. Portanto, é importante que o paciente siga as recomendações.

Deixe seu comentário