Contrato com empresa de esgoto deve passar por auditoria

Publicidade

A atual prefeita, Alaíde Damo (MDB), poderá contratar uma empresa para realizar um auditoria entre o contrato da prefeitura com a BRK Ambiental, empresa que gere a rede de captação e tratamento de esgoto do município. A intenção é averiguar a forma de cobrança da taxa de esgoto.

A Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) ou a FGV (Fundação Getulio Vargas) são vistas com bons olhos para auditorar a empresa e o atual cronograma. Na estimativa do Executivo, a BRK recebe cerca de 6 milhões para cuidar do esgoto e realizar investimentos. A ideia veio após reclamações de munícipes que apontaram que o valor pago pela coleta de esgoto estava maior do que o observado pelo fornecimento de água.

O prazo é que em 60 dias, o relatório seja entregue. Caso exista irregularidades, a redução da tarifa e até o rompimento do contrato estão entre as consequências.

Deixe seu comentário